13/04/2017

OPINIÃO | 'AMOR CRUEL' DE COLLEEN HOOVER

No âmbito do projeto "Mulheres Para Ler" criado pela Iara do canal Conto Em Canto, no qual estou a participar, li o "Amor Cruel" de Colleen Hoover.

A Colleen é uma das minhas escritoras favoritas e este era o único livro que me faltava ler dela - daqueles que possuo e que já foram editados cá - e tal como todos os outros não me desiludiu e foi tal e qual como eu esperava.

Editor: Topseller
Edição ou reimpressão: Junho de 2015
ISBN: 9789898800572
Goodreads: ★★★★★
COMPRA AQUI 

SINOPSE
Tate é enfermeira e muda-se para São Francisco, para casa do irmão Corbin, para estudar e trabalhar. Miles é piloto-aviador e mora no mesmo prédio de Corbin. Depois de se conhecerem de forma atribulada, Tate e Miles acabam por se aproximar e dar início a uma relação exclusivamente física. Para que esta relação exista, Miles impõe a Tate duas regras:

«Não faças perguntas sobre o meu passado. Não esperes um futuro.»

Tate aceita o desafio de manter uma relação distante, sem nenhum compromisso, nem sequer o da amizade. A relação alimenta-se assim da atração mútua entre os dois. Miles nunca fala de si nem do seu passado, e comporta-se perante Tate de acordo com as regras que ele definiu. Será Miles capaz de desvendar o que se esconde por detrás desta necessidade tão grande de se distanciar emocionalmente dos outros?

E poderá algo tão cruel transformar-se numa relação bonita e duradoura?

OPINIÃO
As opiniões dos livros da Colleen Hoover são sempre as mais difíceis de escrever, talvez porque é impossível não te sentires extremamente envolvido na história. Esta é uma das características da escrita da Colleen, envolve de tal maneira o leitor que sentimos na pele tudo o que as personagens sentem - sofremos até à última página do livro.

Tal como podemos ler na sinopse, esta história foca-se em duas personagens - o Miles e a Tate - que mantêm uma relação exclusivamente física, ou seja, meramente sexo. Os dois são bastante diferentes. A Tate é uma mulher segura de si, completamente resolvida, enquanto ele é assombrado pelo seu passado que não o deixa seguir em frente com a sua vida amorosa - quando acontece algo de muito mau connosco, já não conseguimos ver nada de positivo daí para a frente. Isso foi o que aconteceu com Miles e acreditem que ninguém quer passar pelo o que ele passou.

Este livro é narrado intercaladamente pelo Miles e pela Tate. Os capítulos da Tate contam o presente e os do Miles o passado. Em cada capítulo do Miles descobrimos mais um bocadinho sobre ele, o seu passado é nos contado aos poucos até ao fim do livro de uma forma tão coerente que percebemos perfeitamente o porquê de ele ser como é. A Colleen é perita em não nos dar tudo de mão beijada e é isso que nos deixa completamente agarrados ao livro até à última página.  Não conseguimos parar de ler até descobrir tudo. É impossível não nos emocionar-mos ao lê-lo - principalmente quando descobrimos o que aconteceu ao Miles. É preciso salientar que isto não é apenas sexo, é uma história de amor - o seu lado bom e o seu lado cruel.

Este é o quarto livro da Colleen Hoover que leio e cada vez se torna mais difícil escolher qual o meu preferido. É incrível a maneira como ela consegue escrever histórias com pés e cabeça, onde todas as peças se encaixam. As personagens desenvolvem-se ao longo do livro e o leitor consegue perceber essa evolução. É impossível não ficar apaixonado por elas e pela sua história. Quando acabo de ler os livros da Colleen sinto que conheço perfeitamente cada personagem - quase que acredito que são reais.

Resumindo: QUE LIVRO TÃO BOM. Aconselho imenso. A Colleen Hoover é uma das escritoras mais fantásticas que conheço e acho que toda a gente deve ler os seus livros. Dos traduzidos em Portugal só me falta ler o "9 de Novembro" e mal posso esperar para o fazer.

P.S: Quando começarem a ler este livro não se esqueçam dos lenços de papel. E não o leiam à noite porque é garantido que não vão dormir até o acabar.


"O amor nem sempre é bonito, Tate. Às vezes, passamos o tempo todo à espera de que se transforme numa coisa diferente. Numa coisa melhor. Até que, quando nos damos conta, voltámos ao ponto de partida, e perdemos o coração, algures no meio do caminho."


Enquanto escrevia esta opinião descobri uma coisa: este livro terá uma adaptação cinematográfica cujo teaser foi divulgado em 2015. Pelo que percebi, o filme era suposto sair em 2016 mas não saiu, e segundo as minhas pesquisas só sairá no fim do próximo ano, estando neste momento em pré-produção. O ator Nick Bateman vai interpretar o Miles, mas ainda não se sabe quem vai interpretar a nossa Tate. Mal posso esperar para saber.

1 comentário:

  1. Gostei mt do livro e a história é tão delicada que nos deixamos apaixonar por Miles. A Tate chega a enervar mas pronto está apaixonada e não dá o braço a torcer

    ResponderEliminar